Andar de ônibus = Diversão

Andar de ônibus por mais desconfortável que possa ser, é sempre muito divertido. Hoje a viajem transcorria muito bem tirando o pagodinho o lálálá-lá não sai da minha cabeça; até que um moço de cadeira de rodas entra no ônibus, até ai nada de anormal a cobradora foi lá abriu a porta com o elevadorzinho e tal , quando o moço da cadeira de rodas deu sinal pra descer e a cobradora foi lá abrir a proto com o elevadorzinho de novo, o motorista que devia estar em plutão de tão desligado deu partida do ônibus deixando o moço que queria descer dentro do ônibus e a cobradora pra fora segurando o controle do elevador, o motorista andou uns duzentos metros com o ônibus até descer de plutão e ouvir os gritos do pessoal do ônibus dizendo a burrada que ele tinha cometido. Voltamos pra pegar a cobradora do ônibus que estava com cara de cachorro que cai da mudança e deixar o moço da cadeira de rodas.


O desconhecido.

Engraçado como algumas coisas que são tão simples pra gente podem assustar outras pessoas. Hoje presenciei uma cena em que a escada rolante precisou ser desligada para que uma senhora pudesse subir e imaginei a quão amedrontada a senhora ficou ao ver aquele “troço” se movimentando indo pra lugar nenhum.
Penso que a maior questão era o fato de que a senhora nunca tinha ficado cara a cara com a escada rolante, e o mesmo acontece em outros aspectos da nossa vida, quando nos deparados com o novo, desconhecido, num primeiro momento vacilamos igual a essa senhora. Temos medo do que acontecerá depois de darmos o “grande salto”, é claro que depois a sensação é maravilhosa se o desconhecido nos fizer bem, pode se desastroso se for pior que a situação atual. O medo de dizer o que sentimos de nos expressar, por nos preocuparmos com a reação das outras pessoas diante da nossa atitude (e nem adianta dizer que você não é assim, a forma como você encara pode se diferente, mas o sentimento existe).
Por outro lado ao mesmo tempo em que temos o pavor do desconhecido, uma chama de esperança se acende dentro de nós, de esse desconhecido por ser uma oportunidade, um presente de Deus para que as coisas passem a andar de forma diferente, seja na vida pessoal, profissional.
O que eu estou tentando dizer é que devemos nos arriscar, nos deixar levar, nos expressar da maneira que achamos que é a correta para nós. Por isso se você está apaixonada se declare, se você está descontente com alguma coisa fale, se expresse, mesmo que as coisas não saiam como você espera, tenho certeza que você ficara orgulhoso(a) de você por ter se permitido.
Eu sei que tomo mundo sabe disso, e isso parece auto-ajuda, mas é que às vezes uma simples senhora empacada em frente a uma escada rolante pode significar muito mais.




 

 

Clicky Web Analytics