A vida como um filme.

No lugar dessas palavras que escrevo agora era para conter  frases de como seria as nossas vidas se vivêssemos em um filme, como nos comportaríamos ao perceber que do outro lado da tela a champanhe é refrigerante de limão, o dinheiro não tem valor,onde não sabemos como fomos parar na cena seguinte,onde nossos cabelos continuam intactos mesmo depois de uma noite de sono(é tão bom acordarmos descabelados,principalmente num domingo chuvoso),  as preliminares não existem, lutamos como se fossemos o Bruce Lee mesmo sem nunca termos visto sequer um videozinho ,onde sempre há um carro com a chave na ignição, uma pessoa sempre dá uma mega lição de moral que te impede de fazer uma burrada sem tamanho, como dispensar o amor da sua vida, beber a taça com veneno , ver o vilão sempre levando a pior e o texto seguiria nesse caminho.
Por falta de uma palavra ou por não conseguir encaixar essa palavra no contexto que tinha para o meu texto, e por pensar demais nessa palavra perdi todo o raciocínio e não consegui mais desenvolver o eu podia ser um baita texto.
Aposto que se eu estivesse em um filme eu olharia para um objeto, veria num papel amassado no chão e de alguma maneira as palavras brotariam na minha cabeça.
É por essas e outras que às vezes eu penso que mudar de cenas sem ter idéia de como aconteceu parece uma boa idéia.


Fui Assaltada!

E não foi no caixa da padaria ao comprar meu pãozinho que está pela hora da morte, nem ao pagar o cobrador do ônibus (R$ 2,50 a passagem, tenha dó!)
Fui assaltada por um ladrão mesmo, de verdade com direito a arma e tudo, o cabeçudo ao invés de ser especifico e dizer exatamente o que queria, se era só o celular, ou dinheiro(não tinha nem 0,10 na bolsa), ou a minha carteirinha escolar pra pagar meia no cinema, afinal “Transformes 2” ainda está no cinema.
A situação foi tão inesperada que quando o sujeito me pediu a bolsa eu simplesmente olhei pra cara dele e ignorei, ele repetiu ,super grosso por sinal dizendo pra eu passar a bolsa, eu passei, nunca tinha visto uma arma tão de perto. Só fui cair na real quando cheguei em casa, ai foi um chororô danado.
Minha mãe tadinha não conseguiu dormir, era cinco da manhã já estava de pé fazendo pão.
No outro dia tive que ir a delegacia, dei uma de valente e fui sozinha. Só digo uma coisa, nunca passei tanto medo na minha vida é até difícil descrever, por pouco minhas pernas não sairam da delegacia correndo, deixando o resto do corpo.
A chegada foi tranquila, todo mundo muito simpático comigo perguntando o que aconteceu etc. Tive que esperar mais de uma hora até chegar minha vez pra poder fazer o boletim de ocorrência, quando estou lá contando tudo pro escrivão, começa um tumulto na delegacia, milhares de policiais correndo com suas mega armas na mão, todo mundo falando que tinha ocorrido fuga, mais tarde descobri que não era fuga tinha ocorrido um assalto, eu nesse momento já estava quase desistindo de fazer o B.O , mas o pior ainda estava por vim, tinha um portinha na delegacia onde dava pra ouvir os presos conversando, o banheiro da cela deles não estava funcionando eles queria muito ir ao banheiro, o que acontece? O delegado inventa de deixá-los usar o banheiro do lado de fora da cela, eles teria que passar por mim pra chegar ao banheiro, meu pensamento foi ”Morri! Um desses caras vai me pegar como refém e eu vou morrer de uma facada dada com uma faca feita com tampa de marmita” Eu nunca fiquei tão perto de uma parede, acho que era pra tentar me camuflar, cada vez que um preso saia para ir ao banheiro.
 Tudo isso ter acontecido depois de um assalto na primeira vez que piso em uma delegacia só contribuiu pra deixar a situação mais desesperadora, sem contar o pedaço de pau na mão do delego pra dar na cabeça de um preso caso ele se metesse a engraçadinho. 

Ps: Agora já estou bem, indigente mas bem
Ps2: Vou atualizar isso aqui com mais frequencia sem trema!




 

 

Clicky Web Analytics